Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/xmlui/handle/7891/4096
Title: Opressão, violência e meios de comunicação de massa: resistência e educação nos movimentos sociais
Authors: Oliveira, Aroldo Magno de
Yamasaki, Alice Akemi
Keywords: ::Violência
Issue Date: Sep-2008
Publisher: VI Encontro Internacional do Fórum Paulo Freire
Citation: OLIVEIRA, Aroldo Magno de; YAMASAKI, Alice Akemi
Series/Report no.: Produção de terceiros sobre Paulo Freire; Série Artigos;
Abstract: O presente trabalho trata da relação dos pressupostos da Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire com o atual contexto de opressão e violência, caracterizado principalmente pela criminalização da pobreza e dos movimentos sociais populares através dos veículos de comunicação de massa. Essa articulação busca evitar a organização coletiva nas periferias urbanas e no campo disseminando a insegurança e a desconfiança mútua, de modo a fragilizar o tecido social. Portanto, apresenta-se uma nova configuração da opressão, agora exercida pelos grandes meios de comunicação de massa, ou seja, a oligarquia brasileira, donos dos meios de comunicação privados e gestores de TVs e rádios estatais, além de interditarem a concessão de TVs e rádios alternativos, dissemina de forma cada vez mais sofisticada a ideologia do opressor. No entender de Paulo Freire, a opressão é exercida na medida em que se absorve o medo da liberdade, decorrente da hospedagem de uma consciência opressora. E, onde está /como encontrar a resistência? Práticas históricas de resistência e oposição encontram-se presentes entre os diversos movimentos coletivos e sociais que acreditam e constroem um outro mundo possível. No caso da educação e de práticas pedagógicas, chama a atenção o projeto educativo do Movimento dos Atingidos por Barragens, movimento social associado à Via Campesina. Apoiado em princípios e valores do próprio movimento e em princípios pedagógicos construídos a partir desses, o MAB enfrenta a força da consciência opressora questionando em sua luta o modelo energético das hidrelétricas adotado pelo Brasil. Para tanto, apóia-se na educação como processo de conscientização e proposição de alternativas às práticas de exclusão social.
URI: http://acervo.paulofreire.org:8080/xmlui/handle/7891/4096
Appears in Collections:Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FPF_PTPF_01_0753.pdf63.24 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.